Na vida é assim; quando um sapato começa apertar ou fazer calos você compra outro par e substitui. Quando você se depara com alguma situação que por algum motivo começa a te incomodar você analisa o que está de fato te  incomodando e se você consegue superar aquilo ou tentar conviver com essa determinada situação, se a resposta for sim você vai insistir nela e tentar dar o melhor que pode pra manter aquilo, seja uma relação amorosa ou uma amizade ou emprego. (quem sabe?) Agora quando a situação extrapola toda a sua capacidade de entendimento ou conforto você simplesmente acaba abrindo mão porque mesmo sendo algo que te traga alegria e felicidade ou recompensa financeira não vale a pena o desconforto ou desgaste emocional. 
A verdade é que a vida é muito simples, tudo é uma questão de escolha/consequência. Sim ou não. Dentro ou fora. Limpo ou sujo. Inteiro ou quebrado. Fui clara até aqui? Por muitas vezes a gente que acaba complicando as coisas, ou colocando obstáculos onde não tem, ou fazendo escolhas equivocadas e depois acaba quebrando a cara com as consequências; ou simplesmente você se apoia em suas expectativas com relação as outras pessoas e quebra a cara, se decepciona. 
Mas lá no fundo a gente sabe que a culpa não é do outro, a culpa é nossa mesmo, que sempre nos apoiamos nas pessoas erradas ou colocamos muita expectativa em cima do outro, esperamos muito do próximo ou temos o pior defeito de todos - confesso que esse é meu pecado e sempre quebro minha cara por isso - achamos que os outros vão fazer/amar/cuidar da mesma forma que fazemos- ou pior, com a mesma intensidade - e meu amigo, quando você chega numa situação dessas eu te falo com prioridade, corre que é cilada! 
Precisamos entender que somos responsáveis pelo nosso sentimento e que devemos lidar com essa carga emocional da forma mais sensata possível, seja quando vamos  expelir o sentimento pra fora e despejar na outra pessoa ou quando vamos guardar pra gente- e por vezes pensar que o outro tem que adivinhar o que sentimentos - e achar um equilíbrio entre sentir e o que fazer com esse sentir. 
Eu mesmo demorei muito tempo pra entender que os outros não me devem nada, que não precisam suprir ou acertar as minhas expectativas e posso dizer pra vocês que é um processo muito difícil e doloroso. Aceitar que o outro não te deve  reciprocidade e lidar com a falta dela não é fácil. 
Então o pensamento tem que ser... 


Tecnologia do Blogger.