Cena do filme "Ele não está tão a fim de você" *Créditos ao dono*

Não sei como pude fazer isso comigo mesma, mas essa madrugada tive uma overdose de sentimentos vendo aqueles típicos filmes de comédia romântica, consegui ver o total de três filmes, que me fizeram refletir e chorar, não necessariamente nessa ordem.

Mas é incrível como a arte imita a vida não é mesmo? Vendo o filme "Ele não está tão afim de você" me senti de alguma forma representada, seja pela Gigi uma das protagonistas que é extremamente desastrada e que está em busca do amor de uma forma desesperada ou pelos questionamentos que se passam pela mente de toda garota ou os diálogos que temos uma com as outras sobre o sexo oposto e/ou sobre amor, da forma que foi retratada no filme. E por incrível que pareça tentei usar esse filme como termômetro pra minha vida amorosa inexistente, e fiquei pensando  nos sinais que eu pensava em ser sinais e se no final eu seria a exceção de alguém,ou quem sabe "dele". 

Então repassei na minha mente todas as nossas lembranças de momentos que passamos juntos,seja os bons ou ruins e me veio um deles em particular na mente e por mais que eu tente fazer qualquer outra coisa me lembro daquela nossa conversa onde eu tentava mostrar pra você  meu ponto de vista após a briga mais horrorosa que tivemos (a única até hoje) onde com muito pesar eu olhei em seus olhos e te disse a verdade, acho que pela primeira vez; que quando nós nos afastássemos eu saberia que sentiria mais a sua falta do que você a minha, que me dói muito saber que você conseguiria viver sem mim, que todos os momentos que passamos juntos não seria o suficiente pra fazer com que você se lembrasse da gente e sorrisse, mesmo que a gente tenha magoado muito um ao outro.

Pensando nisso, percebo agora que esse foi o meu sinal para você, o sinal de que eu te amava e que sua atitude em querer se afastar de mim me magoava,porque realmente achava que tinha perdido você pra sempre. Porque no fundo sempre quis que você fosse meu amor, a minha exceção, mas isso nunca te fez menos meu amigo, entende? Então pensar em você longe de mim, me causava muito desconforto e foi assim por dois anos.

Talvez você não tenha entendido o sinal, Deus sabe o quanto você é desatento. 

Só sei que me encontro em um ponto agora onde optei em me afastar de você pela segunda vez porque não sei entender o teus sinais ou a falta deles, e talvez porque mesmo não querendo eu acabo me machucando sempre, reabrindo feridas que jurava que estavam cicatrizadas. Decidi parar de me rasgar e costurar, ainda dói um pouco manter essa escolha, mas um dia tenho fé, que eu consiga te esquecer assim como você me esqueceu. 

"Ensinam muitas coisas as garotas:
Se um cara lhe machuca, ele gosta de você.
Nunca tente aparar a própria franja.
E um dia, vai conhecer um cara incrível e ser feliz para sempre.
Todo filme e toda história implora para esperarmos por isso:
A reviravolta no terceiro ato, a declaração de amor inesperada, a exceção à regra. Mas as vezes focamos tanto em achar nosso final feliz que não aprendemos a ler os sinais, a diferenciar entre quem nos quer e quem não nos quer, entre os que vão ficar e os que vão te deixar.
E talvez esse final feliz não inclua um cara incrível.
Talvez seja você sozinha recolhendo os cacos e recomeçando, ficando livre para algo melhor no futuro.
Talvez o final feliz seja só seguir em frente.
Ou talvez o final feliz seja isso:
Saber que mesmo com ligações sem retorno e corações partidos, com todos os erros estúpidos e sinais mal interpretados, com toda a vergonha e todo constrangimento, você nunca perdeu a esperança.


Deixe um comentário

Tecnologia do Blogger.